top of page

O MALABARISTA

DOC/ANI - DIR. IURI MORENO - 11' (2018)

Sinopse

Um malabarista de rua leva sua arte, sorrisos e cores a uma cidade ruidosa, monocromática e constantemente apressada.

22.jpg

CONCEITO

O filme reúne fragmentos do cotidiano e experiências de artistas de rua, que em meio à hostilidade das grandes cidades, buscam levar cores e sorrisos aos que cruzam seus caminhos. De forma lúdica – o traço, a direção de arte e efeitos sonoros – fazem um contraste entre o monocromático das paisagens e a presença do pluralismo das cores neste híbrido entre animação e documentário.

06.jpg

PRÊMIOS E FESTIVAIS

cartaz.jpg

O MALABARISTA, dirigido por Iuri Moreno, conquistou 36 prêmios e foi selecionado para mais de 220 festivais em 47 países distintos, com destaques para seleções no Festival de Havana (Cuba), Chicago Children (EUA), Festival de Huelva (Espanha), FIC Valdivia (Chile), Zlín Film Festival (República Checa), CINANIMA (Portugal), Anima Mundi (Brasil), Golden Kuker Sofia (Bulgária), ANIMA (Argentina), Festival Guarnicê (Brasil) e Festival de Vitória (Brasil). O filme foi ainda indicado a Melhor Curta de Animação no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019, indicado a Melhor Documentário (11 a 15 anos) no Prix Jeunesse Iberoamericano 2019 e indicado a Melhor Curta na Categoria Teen do Prêmio Brasil de Cinema Infantil 2018.

02.jpg

PROCESSO CRIATIVO

malabarista-processocri-03.jpeg

O projeto do curta-metragem O MALABARISTA começou em 2010, quando o diretor Iuri Moreno ainda cursava sua graduação em fotografia. Inicialmente foi feito um trabalho fotográfico com o coletivo “Ésóquerêfazê”, um grupo de malabaristas e músicos que ocupavam os semáforos da cidade de Goiânia, como segue a abaixo:

Após uma exposição desse trabalho fotográfico realizada no Encontro Goiano de Malabares e Circo, em Goiânia, despertou em Iuri e seus colegas de turma um interesse em produzir um documentário sobre aquele grupo de malabaristas. O documentário chegou a ser filmado, mas por uma questão de desorganização dos alunos, algumas imagens foram perdidas. Iuri chegou a tentar editar um corte com o material que tinha, mas não chegou em um resultado satisfatório e o projeto acabou engavetado.

Anos depois, Iuri retomou o projeto e conseguiu incentivo através da Lei Goyazes – Lei de Incentivo à Cultura do Estado de Goiás. A proposta era começar tudo de novo do zero e utilizar as imagens da época da faculdade apenas como pesquisa. Em 2017, ano de produção do curta, Iuri já havia realizado a primeira edição do “Lanterna Mágica – Festival Internacional de Animação” e já estava muito envolvido com a área da animação, o que despertou um desejo de realizar o documentário 100% em técnicas de animação.

Por sorte, na época da gravação, estava acontecendo pela primeira vez em Goiânia a 18ª Convenção Brasileira de Malabares e Circo, evento tradicionalmente realizado no eixo Rio-São Paulo e que reúne artistas circenses de toda a América Latina. A equipe de produção do filme aproveitou a oportunidade para entrevistar aleatoriamente os artistas que participavam do evento, ao todo foram entrevistadas seis pessoas: Ana Marcela (Presenta na foto acima), Chico Curi, Gustavo Torres, Ícaro Araújo, Luciano Yacante e Samira Lemes.

Após esse processo foi realizada uma decupagem para pegar ali apenas alguns minutos desse total de mais de 8 horas de entrevistas, e em seguida Iuri escreveu um roteiro que teve a proposta de mostrar como seria um dia de trabalho na vida de um malabarista de rua, já com previsão dos momentos em que os depoimentos entrariam. Em parceria com o animador Wesley Rodrigues, que assumiu a direção de arte, animação e toda a visualidade do filme, o curta começou a ganhar vida. Guiado pelo roteiro e usando como inspiração também as imagens produzidas por Iuri na época da faculdade, Wesley criou belíssimos cenários utilizando lápis, tinta nanquim e café para dar um tom envelhecido, todos pintados à mão por ele.

Após a construção visual do filme, começamos a trabalhar o som. Nesse processo decidimos gravar primeiramente a música “Paixão de Malabarista”, composta por um dos malabaristas que foram entrevistados na época da faculdade/pesquisa, Saracura do Brejo, e interpretada pela cantora e integrante do grupo, Flávia Carolina. A música fala um pouco da rotina de um malabarista de rua quando se apresenta no semáforo. Editamos um videoclipe da música com cenas do filme, como segue abaixo:

Com a música gravada, partimos para a criação de algumas trilhas musicais extras, produzidas por Dênio de Paula, e por fim elaboramos o desenho de som, assinado por Thiago Camargo e Guilherme Nogueira. O som, assim como as cores do curta, foi pensado para apresentar um contraste entre os ruídos de uma cidade grande e a magia e alegria da arte de rua.

05.jpg

GALERIA DE IMAGENS

ARTES FINAIS

13.jpg

FICHA TÉCNICA

Direção e Roteiro:

Iuri Moreno

Direção de Animação e Arte:

Wesley Rodrigues

 

Direção de Produção:

Danilo Kamenach e Marcelo Kamenach

Trilha Musical:

Dênio de Paula e Saracura do Brejo

Pesquisa:

Iohanna Hardy e Iuri Moreno

Músicos Instrumentistas:

Dênio de Paula (Violões e Efeitos), Henry (Percussão) e Fred Praxedes (Acordeon)

Produção Executiva:

Lara Morena

Assistência de Direção:

Fernão Carvalho

Som:

Thiago Camargo e Guilherme Nogueira

Finalização:

Isabela Veiga

Design Gráfico:

Gabriel Godinho

Depoentes:
Luciano Yacante

Ana Marcela

Ícaro Araújo

Gustavo Torres

Chico Curi

Samira Lemes

MÚSICA "PAIXÃO DE MALABARISTA"

Composição:

Saracura do Brejo

Intérprete:

Flávia Carolina

Direção Musical: Dênio de Paula

Mixagem e Masterização: Dênio de Paula e Daniel de Paula

Patrocícino:

Apoio Institucional:

goias.png

Apoio:

Distribuição:

Realização:

13.jpg

CANAIS E PLATAFORMAS LICENCIADAS

* A disponibilidade da animação pode variar de acordo com cada plataforma

02.jpg
bottom of page